Aleitamento materno em tempos de COVID-19

Com a pandemia de COVID-19, muitas dúvidas surgiram com relação ao aleitamento materno de gestante infectadas. Elencamos algumas dúvidas principais sobre esse assunto e vamos respondê-las aqui – claro que, com tudo surgindo assim tão rápido, estudos mais completos ainda estão sendo feitos, mas esses posicionamentos já são oficiais e de acordo com o Ministério de Saúde e com a Sociedade Brasileira de Pediatria. Leia abaixo:

O novo Coronavírus pode ser passado pelo leite materno?
Não há comprovações de que a COVID-19 seja transmitida via aleitamento materno, até o momento.

Mães com suspeita ou confirmação de COVID-19 podem amamentar?
Sim! Deve-se manter o aleitamento em livre demanda, sendo esta a única alimentação durante seis meses. Depois desse período, manter a alimentação com o leite da mãe e outros alimentos complementares. No entanto, essas mães devem continuar com alguns cuidados, como usar máscara durante a amamentação e higienizar as mãos sempre que for tocar no bebê, fora todos os outros cuidados que já deveriam ter sendo portadoras do vírus mesmo que não fossem gestantes.

E se a mãe não se sentir confortável em amamentar?
Deve ser respeitada a vontade da mãe. Nesses casos, o leite pode ser oferecido em copo ou com colher. Outra opção é considerar a retirada de leite materno de uma outra pessoa, que esteja saudável no momento.

Se a mãe estiver fazendo tratamento para COVID-19, ela pode amamentar?
Sim! Mas é sempre bom verificar com o médico que está cuidando de cada caso, pois como a doença é nova, outros medicamentos que influenciam na amamentação podem ser recomendados à mãe.

Todos os cuidados relativos à contenção da pandemia de COVID-19 devem ser tomados, inclusive por não-gestantes. Previna-se! Cuide de você mesmo e do próximo!

Dados fornecidos pela Sociedade Brasileira de Pediatria, e que podem ser conferidos aqui.